Diversas empresas mundo a fora começaram a estimular a prática do mindfulness: tradução em inglês da palavra “Sati” que pode ser definido como a capacidade de atenção plena. Uma pesquisa sobre felicidade no trabalho, realizada pela consultoria de comportamento Robert Half, consultou 1.838 profissionais em todo o mundo e observou que 54% se sentem felizes no escritório com a adesão desta prática.

Aqui na Humans at Work, esse assunto é pautado já faz algum tempo e mês passado, aconteceu em Curitiba, o Fórum de Recursos Humanos da Electrolux Latin America – um encontro em que toda a área se reúne para alinhar as estratégias do ano. Foi o nosso primeiro workshop “internacional” e teve representantes de países como  Argentina, Chile, Peru, México, Colômbia e Estados Unidos. Por conta da mista cultura, o workshop foi desenvolvido em inglês – a língua principal dentro da Electrolux.

Para Lorenna, a forma como foi trabalhado o mindfulness no público corporativo, demonstrou ser atrativo e prático. “Alinhando teoria à prática, Maria Cardoso mostrou que esse tema pode ser aplicado em todos os níveis da empresa e que praticar a atenção plena traz benefícios não só para o ambiente pessoal, mas profissional também”, relata a coordenadora de comunicação interna da Electrolux.

Quando falamos de atenção plena, estamos falando que o mindfulness é um estado mental de consciência no momento presente e no que está acontecendo ao seu redor. Essa técnica nos dá a possibilidade de mudarmos a maneira de entender o sucesso e como ele pode ser alcançado, ajudando a definir nossa relação com o trabalho e com as pessoas, podendo ser um fator decisivo para que todo o nosso potencial seja explorado.

Dos gigantes no mercado de tecnologia que trabalham com a técnica de mindfulness, estão as redes sociais Linkedin, Twitter e Facebook, além de startups com destaque no Vale do Silício. A Intel também se destaca, adotando essa atividade que proporciona aos seus funcionários a habilidade de estar presente – desconectar-se com coisas que não lhe cabem naquele momento e viver o ambiente de trabalho com foco, produtividade, concentração e engajamento.

Mas se estamos falando de inovação e uma técnica que ainda é vista como uma criança dando os primeiros passos, trazemos a tona a criação de um programa destinado a essa prática no Google.  O “Search Inside Yourself”, criado pelo engenheiro de computação Chade-Meng que trabalhou por 15 anos na empresa. O programa tornou-se um livro bestseller e tem como base a técnica de mindfulness. Com isso, o Google criou uma outra empresa, chamada Search Inside Yourself Leadership Institute que oferece treinamentos de mindfulness e inteligência emocional dentro das empresas.

Inspirado na sede americana da organização, a filial em São Paulo tem grupos de mindfulness, e funcionários se isolam em uma sala antes do almoço para passar 20 minutos tentando tranquilizar a mente e aumentar o foco.

Dentro da programação da Humans, no Fórum de Recursos Humanos da Electrolux Latin America, nós participamos com um workshop de mindfulness – ministrado pela Maria Cardoso, que ensinou a usar essa ferramenta para superar o estresse, se reconectar consigo mesmo, sair do automático para trabalhar com mais propósito e fazer entregas de qualidade. Assim, equilibrando nossas emoções para tomar decisões mais inteligentes.

Segundo Maria, o workshop de mindfulness internacional, foi sua primeira palestra em inglês. “Eu não dei tanta dimensão, por ser a primeira vez em inglês. Fiquei focada em me preparar nisso, mas quando eu estava lá e vi algumas pessoas tirando suas dúvidas, essa coisa do interesse, perguntas de pessoas de outros países, eu me liguei que a palestra poderia estar sendo uma sementinha levada para lugares um pouco mais distantes. Eu encaro isso como uma forma de gerar insight nas pessoas que estão participando, uma luz para que elas encontrem suas respostas para suas dúvidas e problemas. Assim, elas conseguem mudar a forma como encaram determinada situação ou como olham a própria vida”, diz.

Maria Cardoso é engenheira eletricista pela UTFPR, com mestrado na Alemanha. Atuou por um bom tempo na área de gerenciamento de projetos e, em busca de autoconhecimento – em sua visão, quando entramos neste caminho, mudamos a forma de ver as coisas na vida. Isso acaba influenciando outras pessoas que estão ao nosso redor – Ela largou tudo e fez um ano sabático pela Índia e Sudeste asiático para chegar ao autoconhecimento. A partir dessa experiência, passou a atuar como coach de vida e instrutora de yoga.

“Levar mindfulness para empresa é fundamental. As pessoas que conseguem estar mais presentes em suas decisões, escolhas, conseguem entender como se relacionam com suas próprias emoções. A partir disso, como elas se relacionam no trabalho, conduzem as reuniões, respeitando o próximo, tendo uma escuta mais atenta e não tentando se impor todo o tempo. Nós passamos boa parte do nosso dia trabalhando, então quando a empresa valoriza e quando a pessoa consegue perceber que essa atenção plena, a forma de estar mais presente, consegue proporcionar conhecimento da forma como ela vive, o ambiente de trabalho melhora. E muda a forma de lidar com o mundo corporativo” – relata Maria, que hoje voltou para o mundo corporativo, atuando como Gerente de Projetos na Telefônica Vivo, onde pode colocar em prática os ensinamentos de mindfulness no trabalho.

A Hümans preocupa-se com o ambiente de trabalho e principalmente com as pessoas. Uma empresa é feita de pessoas e ela só caminha bem, quando as pessoas dentro da organização estão bem. Por isso, adotamos essa técnica de estarmos presentes, com a atenção plena e vivendo cada momento.